-PUBLICIDADE-

o presidente russo Vladimir Putin, que recentemente estendeu sua presidência a 2036 após um referendo, zombou da embaixada dos EUA por exibir a bandeira do arco-íris.

Durante uma coletiva de imprensa na televisão, Putin foi informado por um legislador de que a embaixada estava arvorando a bandeira. Quando lhe disseram que era a embaixada americana, ele respondeu dizendo: “Deixe-os comemorar. Eles mostraram algo sobre as pessoas que trabalham lá”.

Referindo-se à lei russa de “propaganda gay”, que foi aprovada em 2013 e proibiu a promoção de orientações sexuais “não tradicionais” para menores, ele acrescentou: “Mas não é grande coisa. Já falamos sobre isso muitas vezes, e nossa posição é clara”.

“Sim, aprovamos uma lei que proíbe a propaganda da homossexualidade entre menores. E daí? Deixe as pessoas crescerem, se tornarem adultos e depois decidirem seus próprios destinos”.

Segundo a lei, um anúncio da Calvin Klein foi banido, houve pedidos para banir o jogo FIFA 17 e o calendário nu de Warwick Rowers foi banido. A lei também proibiu um site que publicava artigos sobre questões de saúde LGBT+, incluindo HIV / AIDS.

E durante a conferência, uma legisladora conservadora e chefe da União das Mulheres da Rússia, Yekaterina Lakhova, afirmou que uma marca de sorvete chamada Rainbow, que usava imagens do arco-íris, poderia estar violando a lei.

“É indireta, mas, ao mesmo tempo, força nossos filhos a se acostumarem às cores, à bandeira que todos estão pendurando, mesmo naquela embaixada”, disse ela.

A bandeira do arco-íris da embaixada atraiu respostas variadas no país. Algumas pessoas visitaram a embaixada para tirar selfies na frente dela, enquanto membros do grupo conservador cristão ortodoxo Sorok Sorokov se filmaram pisoteando uma bandeira do arco-íris em frente à embaixada.

Pessoas na frente da Embaixada dos EUA – Foto reprodução Gay Times

O referendo em que o reinado de Putin no poder foi estendido também mudou a constituição da Rússia para proibir explicitamente o casamento entre pessoas do mesmo sexo, algo que Putin disse que nunca se tornaria legal enquanto estivesse no poder.

Recente pesquisa divulgada em abril descobriu que um em cada cinco russos queria “eliminar” a comunidade LGBT+, no entanto, esse número foi uma queda desde a última pesquisa realizada em 2015. Naquela época, 21% dos russos eram a favor da eliminação.

Diz aí, o que achou?

-PUBLICIDADE-