-PUBLICIDADE-

os médicos estão incentivando aqueles que praticam atos sexuais durante a pandemia de Covid-19 a usar proteção, mas não é de preservativo que eles estão falando, meus caros (embora você também deva uma um desses).

Embora no Reino Unido sair para encontros sexuais está proibido (por lei) este não é, de fato, um requisito tão simples ou realista. Por isso, três pesquisadores de Harvard estão incentivando as pessoas a usarem máscaras se o contato sexual ocorrer.

De fato, eles até relataram que implicar sexo como perigoso poderia ter “efeitos psicológicos insidiosos no momento em que as pessoas estão especialmente suscetíveis a dificuldades de saúde mental”.

Para isso, a fim de esboçar algumas técnicas de redução de risco, na revista Annals of Internal Medicine, uma publicação de médicos ingleses sugere as seguintes práticas (cuidados) para ter sexo durante a pandemia (caso seja inevitável, ok?):

1.Reduza o número de parceiros sexuais. 2. Evite sexo com parceiros que apresentem sintomas de COVID-19. 3. Use uma máscara durante o sexo. 4. Evite beijar e “comportamentos sexuais com risco de transmissão fecal-oral ou que envolvam sêmen ou urina. 5. Tome banho antes e depois do sexo, limpando as superfícies usadas, se possível.

Voltando à questão inicial, os médicos expressaram preocupação de que as taxas de IST aumentem nessa época, pois haverá menos atenção médica sendo prestada e, portanto, as pessoas LGBTQ devem ser mais cautelosas.

Diz aí, o que achou?

-PUBLICIDADE-