Bom Crioulo

Romance de Adolfo Caminha publicado em 1895, um dos primeiros romances brasileiros a abordar abertamente o tema da homossexualidade, e é considerado por muitos como o primeiro romance declaradamente homoerótico no mundo. Bom Crioulo foi recebido com um escandalizado silêncio pela crítica literária e pelo público, devido à ousadia de abordagem de temas tabu, como o sexo inter-racial e a homossexualidade em ambiente militar, com uma frontalidade e erotismo pouco usuais para a época. Suas traduções em quatro idiomas ruborizaram a Europa do “novo século”. Sinopse - Amaro, o personagem principal, é um escravo foragido que anseia ser dono de seu próprio destino. É aceito como marinheiro, o que lhe permite realizar o seu sonho de liberdade e que, associado ao seu físico imponententemente muscular, "sem um osso à vista", claramente mais possante que o dos outros marujos, o transforma em alguém voluntarioso e benevolente, de tal forma que recebe a alcunha "Bom Crioulo". Ali, conhece Aleixo, um belo grumete adolescente louro, de olhos azuis, por quem se apaixona. Amaro deixa de ser o marinheiro submisso. Envolve-se em brigas para defender o seu amado, embebeda-se, é castigado. Mas o que obtêm em troca de Aleixo é mais gratidão que amor. No Rio de Janeiro, após a reforma da corveta em que viajavam, Amaro arranja um quarto para si e para Aleixo na pensão de uma portuguesa, D. Carolina, antiga prostituta que ele tinha salvado de uma tentativa de assalto. A vida com Aleixo é quase marital, e o Bom Crioulo, enfrentando alguma impaciência do rapaz, deleita-se mais com apreciar longamente o seu lindo corpo alvo do que com a obtenção do prazer sexual. Mas esta vida quase matrimonial é efêmera, pois o capitão do navio para onde Amaro é transferido é extremamente rígido, dando-lhe folga apenas uma vez por semana, o que dificulta o encontro dos amantes, que deixam de se ver. Para piorar, D. Carolina, num capricho muito feminino, decide seduzir o adolescente, que se apaixona lubricamente por ela. Amaro abandona-se à aguardente, desequilibrado, arranja confusão e é repetidamente castigado. É transferido para um hospital-prisão, em que mergulha no tédio da recuperação e do abandono. Solitário e frustrado, Amaro fica inquieto ao saber que Aleixo o teria traído com uma mulher. Foge da prisão e, já perto da pensão, encontra Aleixo e mata-o tragicamente à navalhada no meio de uma multidão quase indiferente.

Devassos no Paraíso

Editora Record, 5ª edição – 2002 – 584 páginas – R$ 63 1ª edição, editora: Max Limonad, 1986 Tema: Sexualidade - 332 p.

Descrição: Dentro da coleção Contraluz, dedicada à sexualidade, a Editora Record lança a nova versão de uma obra fundamental para o estudo da homossexualidade no Brasil. Publicado originalmente em 1986 (a pedido da editora londrina Gay Mens Press) e esgotado há quase uma década, Devassos no paraíso dobrou de tamanho, para abranger as grandes mudanças ocorridas no Brasil nesse período, fruto, principalmente da disseminação da Aids, ainda incipiente quando o estudo original foi escrito. João Silvério Trevisan investiga a atuação no Brasil, a partir de 1591, do Santo Ofício, preocupada em punir os sodomitas, aborda a formação dos conceitos de pecado e desvio de conduta em relação à homossexualidade e, partindo disso, analisa os esforços de políticos, autoridades policiais, juizes, higienistas e psiquiatras para entender e tentar conter a pederastia nos séculos XIX e XX. E chega até o final deste século, discutindo direitos civis, inserção social de minorias, Aids e intolerância. Trevisan, porém, não se limita a um estudo histórico documental. Ele se vale de instrumentos da antropologia e da psicanálise, disseca a religião, analisa o homoerotismo nas artes e na mídia e revela o cotidiano homossexual, através de diversos depoimentos; Obra rara na literatura nacional. É considerado por muitos como a “bíblia gay brasileira”.

Poderes Terrenos

Anthony Burgess Editora Record – 1980 - R$ 25,00 – na web você encontra melhor preço estante: Literatura Estrangeira/Inglesa descrição: Brochura, com 605 páginas . Tradução de Aulyde Soares Rodrigues

Obra prima de Anthony, uma narrativa épica e absorvente que atravessa seis décadas, destacando alguns dos eventos mais espantosos e alguns dos personagens mais marcantes de nosso tempo.É uma explosão de inventária, alucinantes jogos de palavras e temas de profundidade universal.

O Massacre dos Inocentes, uma antologia

Auden é um muito grande e inquietante poeta. 'Pois a Lua e o Sol fornecem as máscaras resignadas, mas nesta hora de crepúsculo civil todos devem usar as próprias caras.' O poeta José Alberto Oliveira conseguiu uma tradução superior.

Psicanálise, educação, sexualidade

NERY, Eliene (org). Belo Horizonte, Mazza Edições, 2000.

Trata-se de uma coletânea de artigos que tratam da sexualidade humana (homossexualidade inclusive). A obra é importante para se entender como as instituições (escola, família, igreja) influenciam e direcionam a construção das relações afetivas entre as pessoas.

Historia da Sexualidade I (a vontade de saber).

FOUCAULT, Michel. Rio de Janeiro, Graal, 1985, 7ª ed.Obra fundamental e de referência para aqueles que desejam conhecer mais e melhor a sexualidade humana ao longo da história. As origens do controle e da repressão sexual construída pela sociedade ocidental européia a partir da era vitoriana inglesa. Imperdível leitura!

Sexualidades Ocidentais

ARIES, Philippe & BÉJIN, André (org.). São Paulo, Brasiliense, 1986, 2ª ed.

Só pra se ter uma idéia do livro em questão, alguns dos artigos são: A homossexualidade masculina, ou a felicidade no gueto? de Michel Pollak; ainda A homossexualidade em Roma, do Paul Vayne. Ou seja: a obra é referencial pra quem acha que a homossexualidade é algo recente entre nós. Leitura prazerosa, fácil, embora se tratando de obra acadêmica. Não precisa ser "iniciado" pra entender os artigos.

O Papa de Hitler - A história secreta de Pio XII

CORNWELL, John. Rio de Janeiro, Imago, 2000.

Trata-se da historia de Eugenio Pacelli, núncio apostólico do Vaticano em Berlin no principio do governo Hitler e a sua posterior eleição como papa Pio XII. A leitura é interessante por retratar os bastidores da Sé romana e toda as implicações e guerras de poder...

Scotty Bowers full service

O Ex- garoto de programa Scotty Bowers lança um livro e promete causar polêmicas. A Auto biografia do autor de 88 anos conta momentos picantes de sua vida sexual e de muitos atores de hollywood como, Marlon Brando, James Dean,Rock Hudson,Spencer Tracy, Cary Grant,Tennessee Williams, Cary Grant, Rodolph Scott , Edith Pia. Algumas mulheres também são citados no livro, como Katharine Hepburn, a moir vencedora de Oscar de todos os tempos, com quatro prêmios, Scotty conta que mandou mais de 100 mulheres para satisfazer a atriz A maioria dos atores citados no livro ja faleceram e nao estarão aqui para contar a sua versão dos fatos, nesse casa fica dificil encontrar propvas de que os fatos realmente aconteceram. O cineasta George Cukore o escritor Gore Vidal relataram que realmente Scotty tinha passe livre na ” Alta Nobreza” de Los Angeles. Na época os estúdios controlavam e escondiam a vida homossexual e bissexual de seus atores para não afetar negativamente a bilheteria.

Homofobia nas escolas é tema de livro de parceria entre MEC e UNESCO

Homofobia, lesbofobia, transfobia, bifobia… Anualmente, milhares de crianças e jovens deixam de estudar ou têm seu rendimento escolar abalado em função preconceito sofrido por conta de sua orientação sexual.Para ajudar os professores a lidarem com esse problema, foi lançado em março “Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre homofobia nas escolas”. O livro é parte da coleção “Educação para Todos”, que produz uma série de publicações numa parceria entre o Ministério da Educação e a UNESCO desde 2004. O objetivo da parceria é “aprofundar o debate em torno da busca da educação para todos”

O livro está disponível para download gratuito no site da UNESCO.

Pioneiros em Minas Gerais

O problema da homofobia (e suas variações) nas escolas é grave e vem sendo combatido em diversas frentes. Em Minas Gerais, um projeto pioneiro atua desde 2008 na capacitação de professores da rede de ensino fundamental e médio da região da Grande BH. O “Educação Sem Homofobia”, projeto do Núcleo de Diversidade Sexual e Cidadania LGBT – NuH, da UFMG já está em sua segunda edição e tem ajudado os professores a compreenderem e lidarem com a diversidade sexual na sala de aula em Contagem, Belo Horizonte, Ribeirão das Neves, Betim e Juiz de Fora e Santa Luzia.

do jeito que a gente é

Trazemos hoje uma boa dica de leitura. Você vai conhecer Chico que é um garoto de 17 anos que adora cinema e vê a realidade como se fosse o roteiro de um filme. Só que, nas cenas filmadas neste momento, seu personagem está vivendo a maior crise: ao finalmente reunir coragem de contar que é gay para o melhor amigo, Johnny, o garoto reage mal e se afasta, ao que parece, por definitivo.

Desse jeito, reflete Chico, como contar para o pai e para as outras pessoas próximas que ainda não sabem da sua homossexualidade? Será que elas terão a mesma atitude? Já Beá tem 14 anos e detesta sua aparência. Alta, magra, de cabelos crespos e usando óculos, tem horror de passar na frente de qualquer espelho. Como se não bastasse, vive em crise com a mãe, que insiste em transformá-la em tudo o que Beá não quer ser: uma boneca sempre maquiada, que saltita para todos os lados de vestidos curtos e salto agulha.

Beá e Chico têm muito em comum: precisam descobrir como se gostar para, aí, se assumir para o mundo sem ter medo de mostrar o que realmente são. Suas vidas se cruzam quando a mãe de Beá e o pai de Chico resolvem se casar. E é então que o leitor entra em contato com a personalidade de cada um. Essa é a narrativa do livro “Do jeito que a gente é”, de Márcia Leite, lançamento da Editora Ática.

Chico vive o medo da intolerância, do preconceito, do não-entendimento. Não é para menos: em uma sociedade em que a escola aparece como um dos cenários onde mais existe preconceito acerca da homossexualidade, como ter coragem de sair do armário? Será que as pessoas pensarão que, por ser gay, ele deixa de ser o mesmo Chico? Como fazer as pessoas entenderem que suas escolhas fazem parte do que ele verdadeiramente é e que, sendo assim, não há motivo para escondê-las?

Beá, por sua vez, faz outras perguntas a si mesma: será que algum dia eu vou arrumar uma turma de amigos legais, que não liguem para modas e aparência? Que vão gostar das mesmas coisas que eu? Será que algum menino vai querer me namorar? E minha mãe, vai saber me aceitar como eu gosto de ser? MÁRCIA LEITE A autora nasceu em São Paulo, em 1960. Publicou diversos livros infantis e juvenis, nas mais importantes editoras brasileiras. Sua obra, já premiada, enfoca de modo sensível e especial os relacionamentos humanos, as descobertas, as fantasias e as angústias que cercam o processo de amadurecimento na adolescência. Na Editora Ática, já publicou “Aqui entre nós”, na série Sinal Aberto.

FICHA TÉCNICA

Título: Do jeito que a gente é Autor: Márcia Leite Coleção: Sinal aberto

Tornar-se Gay: o Caminho da Auto-Aceitação

Uma análise da construção da identidade homossexual através de exemplos de pacientes que hoje vivem autenticamente a sexualidade

O homossexual que não se aceita acostuma ter baixa auto-estima e expressar sua sexualidade em encontros fortuitos. Já aquele que se identifica como gay aumenta sua capacidade de relacionar-se amorosamente e viver uma vida integrada. Nesta obra pioneira, o doutor Isay, membro da Associação Americana de Psicanálise e da Associação Americana de Psiquiatria, demonstra o peso que a adoção de uma identidade heterossexual pode ter para gays.

Combate o preconceito demonstrado por seus colegas e dá exemplos, seus próprios e de seus pacientes, do significado liberador de se viver autenticamente.

Editora: GLS Edições Autor: RICHARD A. ISAY

o preço por ser diferente

Resumo: Romero é um jovem de 14 anos que vive com o pai Silas, a mãe Noêmia e a irmã Judite. Silas é um pai autoritário e machista, que ao perceber as tendências homossexuais do filho passa a persegui-lo implacavelmente e chega até a levá-lo em uma prostituta. Noêmia, por temer a ira do marido, assiste a tudo calada. A única amiga de Romero é Judite.  Após uma sessão de cinema, Romero é violentado por um rapaz chamado Júnior e, apesar da dor física e emocional, não conta com a compreensão do pai que o proibe de tocar no assunto com quem quer que seja. Triste e magoado, Romero se fecha para o mundo até que conhece Mozart, um rapaz de 17 anos de idade, cuja família é mais liberal e os dois começam a namorar. Entretanto, Junior - inspirado por inimigos desencarnados de Romero - acaba contando para Silas sobre a relação de Romero e Mozart. Silas segue os dois e, ao confirmar suas suspeitas, espanca o filho e o manda embora de casa. Romero é internado e cuidado pelo Dr Plínio. No dia da alta de Romero, Judite enfrenta Junior e acaba assassinada por ele. Romero se vê totalmente abandonado, mas é amparado por quem menos imaginava: Dr Plínio o leva para sua casa e conta com o apoio de sua esposa, mas não do cunhado Rafael, um jovem insolente que antipatiza com Romero de imediato. Mozart é enviado pelos pais para estudar na Europa e os dois perdem contato. No mundo espiritual, Judite relembra uma encarnação anterior e descobre o porque desses acontecimentos. Juntamente com Fábio, seu instrutor, passa a auxiliar a caminhada do irmão. Com a ajuda de Plínio, Romero estuda medicina, mas, devido a pesados débitos do passado, Romero ainda sofre muito no decorrer do livro, chegando a ser o suspeito de violentar o filho de 11 anos de Plínio. Tudo isso sem nunca se esquecer do seu grande amor, Mozart, que também nunca se esqueceu de Romero.

Facebook Comments