-PUBLICIDADE-

Neste último domingo 05, aconteceu a 14ª Parada do Orgulho LGBT de Contagem. A concentração que começou ao 12h na Praça da Glória no Bairro Eldorado, seguiu em passeata pela Avenida Olímpio Garcia (Norte-Sul) e Avenida João César de Oliveira até a Praça Paulo Pinheiro Chagas, local onde ocorreu a finalização do evento com dispersão dos participantes.

De acordo com Centro de Luta pela Livre Orientação Sexual de Contagem – Cellos Contagem, a Parada LGBT de Contagem é um ato público de manifestação política e de livre expressão, onde o objetivo é dar visibilidade às lutas do movimento social na garantia e ampliação de direitos, além do enfrentamento do preconceito e da violência em razão da orientação sexual e identidade de gênero.

Mas o que se viu na Parada deste último domingo, não foi apenas as cores da bandeira do arco-íris e a diversidade do público, mas sim um grande número de arrastões, roubos e violência contra aqueles que só queriam se divertir e lutar pelos seus direitos.

Segundo informações da equipe do site Kurti, que estava presente para cobrir o evento, o grande destaque dessa 14ª Parada do Orgulho LGBT de Contagem, foi a falta de organização e o desrespeito por parte dos organizadores da Cellos Contagem com a imprensa. A subida no Trio Elétrico e até mesmo no palco improvisado, para que houvesse maior destaque na realização das fotos oficiais para o site, que já havia sido combinado com antecedência, foi impedida pela organização, alegando que tal atitude seria coordenada pelos bombeiros, que não autorizou.

Por outro lado, o apoio da Polícia Militar, que segundo a nota pública de esclarecimento divulgada pela Cellos Contagem dias antes da Parada, que contava com o apoio do 39º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais articulado com outros batalhões da Região Metropolitana, para garantir um efetivo de segurança, não foi suficiente. De acordo com relatos do público e dos artistas presente, foram inúmeros roubos, atos de violência e utilização abusiva de spray de pimenta.

Sabemos que muitos desses problemas aconteceu realmente pela falta de apoio da prefeitura de Contagem na Parada deste ano, o que é uma pena, já que durante muitos anos a Parada de Contagem, sempre foi muito animada.

Ou seja o que deveria ter sido um ato de celebração e luta pelos direitos LGBTs, acabou se tornando um verdadeiro ato de insegurança, agressão e até mesmo de homofobia, manchando de sangue as cores do arco-íris.

Tomara que agora, a Cellos Contagem e a Prefeitura entre em um consenso e tudo que aconteceu seja analisado e repensado, para que a 15ª Parada do Orgulho LGBT de Contagem seja melhor e mais organizada do que foi a deste ano.

Veja algumas fotos da Parada:

Texto Marcus V. Xavier – Redator Chefe

Facebook

Instagram

Diz aí, o que achou?

-PUBLICIDADE-