-PUBLICIDADE-

O contador Thiago Melgaço, 34 anos, morador de Brasília, queria somar a Copa do Mundo da Rússia 2018 ao rol de torneios nacionais e internacionais de futebol aos quais já foi. Entretanto, ele foi impedido pelo cartão vermelho da homofobia!

O desejo de torcer pelo Brasil e ver seleções de todo o mundo em terras russas era comum em sua família, composta pela sua filha natural, de 14 anos, e pelo namorado, o estudante de fonoaudiologia Thiago Silva, 27 anos.

O fato de o campeonato ser realizado em um dos países mais homofóbicos do mundo – paradas são proibidas e o ato de portar bandeira arco-íris pode levar à cadeia – logo deu as caras, explicou Melgaço à nossa reportagem.

“Estávamos vendo preços de hotéis. Queríamos um quarto triplo, mas a recomendação em todos era bem clara: eu e meu namorado não poderíamos ficar juntos. Alguns hotéis ofereciam um duplo para eu e minha filha e outro para ele, e outros só aceitavam se fossem três quartos. Ficou claro o impedimento de dois homens ficarem juntos. Homofobia! E aí os custos inviabilizaram a viagem.”

A discriminação, portanto, não permitirá que o trio vibre tal com ocorreu na Copa do Mundo de 2014, quando viram sete jogos, e a Olimpíada do Rio, em 2016, quando torceram em 12 partidas.

Na semana anterior à entrevista, a família foi a São Paulo para ver o time do coração de Melgaço, o Palmeiras, jogar contra o Boca Juniors pela Libertadores da América.

Em São Paulo, é vedado por lei não permitir que dois homens durmam no mesmo quarto de hotel.

Diz aí, o que achou?

-PUBLICIDADE-